Come closer


Saudações, visitante! Neste momento, você se encontra no Hishoku no Sora, um blog pessoal sem fins lucrativos. Aqui se fala de tudo um pouco, então fique à vontade!
A versão atual é inspirada na música "We Don't Talk Anymore", ilustrada por Jimin e Jungkook (BTS).

Home Me Blog Links

Talk to me
Kawasumi Shana, 24 anos e contando +1 todo dia 7 de fevereiro - logo, sou toda aquariana. Adoro música, mangás, animes, filmes e livros. Odeio insetos, injeções e filmes de terror, sou criativa e contraditória, possivelmente tenho um parafuso a menos - mas juro que sou legal. Ou não.more?

Stay in touch


Follow

Unspoken Words

Past Tense

Stay a little longer

 
Hishoku no Sora
Google Chrome | 1366x768


Reformas + Férias!
Olá, queridos leitores!
Como eu já havia dito, o Hishoku passaria por reformas - e, de fato, ele passou, embora seja quase impossível não notar, imagino. Consegui enfim dar um jeito nas páginas internas do blog, e apostei num design mais limpo e sintético - lindo de viver. ♥ Então, façam-me o favor de navegar nas páginas lindas, sim?
Mas essa não é minha maior novidade, minha maior novidade é estar de férias! Consegui passar em todas as matérias com notas decentes, não podia querer mais nada da minha vida. ;w; E, claro, estou aproveitando minhas férias com vários animes, mangás e horas gastas no video-game, como já era de se esperar de mim. E nem preciso dizer que vou convencê-los a fazer o mesmo, não? Obviamente, não fiquei mofando em casa, apesar disso.

Depois de uns bons anos sem ir em um evento, resolvi dar as caras no Anime Friends 2012. Preciso dizer que senti falta da grandeza do evento, se é que me entendem; a yamato fez uma péssima escolha para o local, coisa que muitos fãs já vinham reclamando fazia algum tempo. Não sei se posso dizer que ficou muito "inabitável", mas o AF sempre foi visto (ao menos por mim) como o maior evento de anime de São Paulo, e eu senti falta disso este ano. Também sofri um pouco por causa de má organização do espaço de alimentação: quando fomos comprar crepes, eu mesma vi uma tomada explodir - literalmente! -, e enquanto uns nos mandavam comprar fichas para troca, outras barracas nos diziam que só aceitavam dinheiro - e não foi muito fácil pra mim, porque meu irmão mais novo não come qualquer coisa e, quando finalmente achamos algo que ele gostava de comer, não conseguimos comprar. Nesse aspecto me decepcionou muito.
Ouvi dizer que as salas estavam ruins, mas eu não costumo frequentar, então não posso falar muito sobre isso. A área de estandes, no entanto, me pareceu ótima: havia variedade, e muitos aderiram ao tal do "Black Friday", oferecendo 10% de desconto nos produtos. O estande da Comix estava divino, e consegui comprar os três volumes de um mangá que queria ler com um super desconto! :) Os estandes da Softnyx estavam bacanas, e os da Level Up estavam magníficos - ouso dizer que foram os mais estrutuados do evento! Ambos estavam dando "coisas de graça": ganhei sorvetes, salgadinhos e bottons na Softnyx e até uma plaquinha da Level Up, bastava fazer algum cadastro ou testar algum dos novos jogos. Ganhamos, inclusive, um CD com város jogos de ambas as empresas. Posso dizer que aproveitei o dia, e não sei dizer se o fato de ter ido na primeira sexta-feira, dia 6, poderia explicar a confusão da área de alimentação. Apesar de tudo, acho que o evento poderia ter sido melhor, em questão de estrutura e organização mesmo.

Nessas férias, resolvi assistir Fullmetal Alchemist: Brotherhood pela segunda vez. O mais bacana de rever um anime é que, na segunda vez, você pode prestar mais atenção em algumas coisas mais sutis, às vezes imperceptíveis na primeira vez que se assiste. Ao contrário do que pensam muitas garotas por aí, muitos animes shounen valorizam - e muito! - as emoções e o psicológico das personagens, e FMAB se mostra uma animação muito bem elaborada nesse sentido, e olha que é uma shoujo-maníaca quem está falando! O character design é lindo e a trilha sonora é maravilhosa, uma delícia de ver do começo ao fim. Impossível não se apaixonar pela história dos irmãos Elric em sua jornada.
Uma coisa que muita gente me pergunta é: qual a diferença de Brotherhood para a primeira animação de Fullmetal Alchemist? É muito simples, na verdade: o final da primeira animação é filler. A primeira versão, denominada Fullmetal Alchemist - contando com 52 episódios, senão me engano, e um filme -, foi finalizada em 2004, e a Arakawa-sama ainda não havia terminado o mangá. O anime alcançou os quadrinhos muito rapidamente e, em função disso, um final alternativo foi criado pelo estúdio Bones, o responsável pela adaptação. Houve também a produção de um filme, Fullmetal Alchemist: Conqueror of Shamballa, que finaliza de fato o enredo criado pelo estúdio - de forma muito infeliz, ouso dizer. Em suma: a primeira versão animada de Fullmetal Alchemist segue uma linha diferente do mangá e, consequentemente, da história original - mais especificamente, do episódio 26 em diante.
Em 2009, no entanto, o mangá de FMA chegou ao fim, e o próprio estúdio Bones fez uma nova adaptação da série, denominada Fullmetal Alchemist: Brotherhood. Essa animação segue à risca a história do mangá, apresentando o final original elaborado pela autora.Vale ressaltar que o primeiro volume de FMA foi publicado em meados de 2001, e levou cerca de 8 anos até seu término. Pra quem não viu a nova versão ainda, vale mais do que a pena conferir e, pra quem não viu nenhuma das duas, é possível assistir Brotherhood sem ter visto a primeira adaptação.
Ademais, para quem não sabe - e ficou com gostinho de "quero mais" -, a série Brotherhood tem 4 OVAS, sendo eles (1) O alquimista cego, (2) Pessoas Simples, (3) A história da sensei e (4) Um homem qualquer,  e um filme, denominado Fullmetal Alchemist: The Sacred Star of Milos. Vale ressaltar que todos estes extras não são baseados no mangá - afinal de contas, eu fiz questão de ler inteiro logo depois de assistir -, mas são muito gostosinhos de ver. Ainda não assisti ao filme, mas podem ter certeza que trago um resuminho bacana pra vocês assim que terminar. :)

Outra coisa a qual me dediquei nestas férias foi à leitura dos meus mangás. Cada um mais lindo que o outro, fico horas, dias me deliciando com eles! *-* O que mais me chamou a atenção nos últimos tempos foi Ao Haru Ride - conhecido também como "Aohoraido". Criado pela Sakisaka Io-sama - em minha humilde opinião, uma verdadeira diva do shoujo -, o título pode ser traduzido como "Percurso da Juventude" - e é justamente disso que o mangá trata. Ao Haru é, literalmente, "Primavera Azul", o que seria uma analogia à juventude, mais especficamente à época da adolescência ("high school"). 
É praticamente impossível não se identificar com a Futaba e seus dramas adolescentes, ou não se apaixonar pelo Kou, com sua irreverência a suas caras e bocas. Em Ao Haru Ride é possível ver, com clareza, uma coisa que a-do-ro na Io-sama: sua sutileza ao retratar os sentimentos das personagens. Os devaneios da Futaba são coisas com as quais qualquer garota já se pegou pensando, assim como os problemas e as situações que ela enfrente ao longo do dia-a-dia. O traço é bem simples, mas cativante, e é muito comum ver mais de uma página sem quaisquer balões, focadas apenas no momento: um verdadeiro retrato da realidade. Infelizmente, o mangá ainda não foi finalizado, então o negócio é sofrer esperando mais capítulos saírem. ;w;'' Mas vale a pena conferir - se não essa, outras obras da autora. Eu li no Manga Fox, mas é possível ler a série em português neste site. Segue abaixo uma sinopse, pra atiçar um pouco, haha!
Yoshioka Futaba tem algumas razões para querer "resetar" sua imagem e sua vida como uma nova estudante de colegial. Por ser fofa, Futaba foi isolada dos demais por suas colegas meninas durante o fundamental e, por causa de um mal-entendido, não pôde sequer levar seus sentimentos até o garoto de quem sempre gostou, Tanaka-kun.
Agora, no colegial, ela está determinada a ser o quão irreverente puder, sendo a garota menos feminina possível para que suas amigas não tenham ciúmes dela. Enquanto vivia sua vida dessa maneira, contente, ela se encontra com Tanaka-kun novamente. No entanto, agora ele atende pelo nome de Mabuchi e, embora tenha dito que se sentia da mesma forma que ela no fundamental, as coisas não serão mais as mesmas novamente. Será Futaba capaz de começar o seu amor, que sequer começou três anos atrás?
Retirado de: Manga Fox



Além de ler mangás e assistir animes, também aproveitei pra tentar zerar um dos meus jogos favoritos: Donkey Kong 3. Por incrível que pareça, consegui empacar na mesma fase em que parei da última vez que tentei, parece até uma sina. D: Pensei em ler algum livro mas, depois de dois anos estudando feito louca e lendo apostila atrás de apostila, ler se tornou muito cansativo - e pelo ritmo da faculdade, parece que vai ser tornar cada vez mais cansativo. Mas não temam, leitores, tenho fé de que conseguirei! ò_ó Espero, pelo menos.
Também aproveitei para ver alguns amigos, e fiz um pequeno tour por São Paulo ontem, com a Yuu. Achei em uma loja aquele pózinhos pra fazer nail art mas, como minhas unhas quebraram, vou ter que esperar um pouco até poder testar. :/
Amanhã vou passar o dia na Liberdade com a Hitomi, e pretendo não gastar horrores como costuma acontecer quando vou lá mas, ha-há, todos sabemos que não vou conseguir. u_û Ok, posso lidar com isso - só espero que minha carteira também possa. ;w;
Queridos leitores,vou ficando por aqui. :) Beijos pra todos, e espero que estejam mais quentinhos do que eu!


Ouvindo Ray of Light by Nakagawa Shouko.

Marcadores: , , ,


By Shana • terça-feira, 17 de julho de 2012 • 0 ComentáriosLink to this post


«older newer»