invitation
Saudações, visitante! Neste momento, você se encontra no Hishoku no Sora, um blog pessoal sem fins lucrativos. Aqui se fala de tudo um pouco, então fique à vontade!
A versão atual é inspirada no filme Corpse Bride, de Tim Burton - estrelando a protagonista Emily ♥

something blue
Kawasumi Shana, 24 anos e contando +1 todo dia 7 de fevereiro - logo, sou toda aquariana. Adoro música, mangás, animes, filmes e livros. Odeio insetos, injeções e filmes de terror, sou criativa e contraditória, possivelmente tenho um parafuso a menos - mas juro que sou legal. Ou não. more?

something borrowed


Follow

something new

something old

you may kiss

 
Hishoku no Sora
Google Chrome | 1366x768
#Morta #Enterrada

Saudações, leitores! E apesar do ponto de exclamação, ouso dizer que o ânimo é só recurso textual mesmo. As últimas semanas têm se arrastado, e a pilha de pedrinhas só aumenta: é resumo pra escrever, é texto pra ler, é aula que "não vira" na faculdade, é a armação do meu óculos que quebra, é o meu grau de miopia que aumentou pra 2,50 em um ano e meio... É, não tá fácil pra ninguém, mas a vida me escolheu pra tacar tomate no último mês. E eu nem contei o fato de ter uma greve iminente se aproximando de todas as universidades estaduais em São Paulo.
Mas chororôs à parte, fazia tempo que eu não postava uma coisinha assim sobre mim - o que é mentira, na verdade, mas a gente já tem aí uma intimidade pra deixar essas coisas de lado, né não? De qualquer forma, hoje eu só queria fazer um post mais bobo mesmo pra relaxar, então me aguentem, por gentileza. ♥
Pra animar um pouco a conversa, ao longos dos últimos meses eu ganhei alguns presentes de aniversário atrasados - porque eu sou muito amada pelos meus amigos, vejam só!



Aí vocês podem ver um bloquinho com estampa de polinhas que ganhei da Bru, um cofre de gatinho lyndo que ganhei do Sawa e da Jéssica e, da Lys, o conjunto de tigelinha de porcelana (com estampa de gatinhos!) + hashis vermelhos e um DVD da Ayaka ♥ Lembrando que neste post eu comentei que ganhei uma bolsa linda da Marina também! Sério, gente, olhem só quantos amigos lindos eu tenho! É pra glorificar em pé, porque é muito amor pra dar e receber.
O Hishoku também ganhou algumas coisinhas, mas essas eu vou deixar pra próxima. Hoje eu vou ficando por aqui, que ainda tenho trocentas-mil coisas a serem feitas - sério, adoro a faculdade, de verdade. Sério mesmo! De qualquer formas, beijos gostosos pra todos os leitores, e que vocês tenham uma semana mais sortuda que a minha, haha! Até a próxima, meus queridos! o/




Marcadores: , ,


By Shana • terça-feira, 20 de maio de 2014 • 8 ComentáriosLink to this post

Resenha: Quando ela se foi

O garçom voltou com duas xícaras de de café e sanduíches que lembravam mistos-quentes abertos.
- São chamados de "croque monsieur" - disse Terese.
Misto-quente aberto com nome metido a besta.

Recomendado pela minha tia-vovó, eu não sei a certo o que eu esperava quando comecei ao ler esse livro - embora tenha me apaixonado pelas cores da capa logo que o vi. Já fazem uns bons anos que a leitura se tornou uma atividade extremamente cansativa pra mim, então não dei muita bola pra coisa, a princípio. Contudo, a escrita despreocupada e envolvente de Coben me conquistou logo nas primeiras páginas!

Myron Bolitar é um ex-jogador de basquete, que por ter lá seus motivos acabou por largar o esporte. Despojado, divertido e, segundo seu amigo Win, uma "mocinha", a personagem é tão bem elaborada que parece ter saído do mundo real e pulado dentro do livro. Myron vai vivendo seu dia-a-dia de forma consideravelmente tranquila, até que Terese - uma mulher deslumbrante com a qual ele passou algumas noites calientes no passado - liga para ele e diz, sem mais nem menos: "Venha para Paris".

A partir daí, o leitor é convidado a uma aventura, onde ajudar uma antiga amada com seu pequeno "problema pessoal" acaba tomando proporções internacionais, envolvendo desde a polícia de Paris até a Interpol e o 11 de setembro. Divertido, leve, intenso, angustiante: essa história é absolutamente maravilhosa, e provavelmente uma das melhores que li nos últimos, sei lá, 4 anos. Nas primeiras páginas, quando você vê Myron se envolvendo em problemas bobos, como arrumar briga com o técnico do time de basquete do enteado, não se espera que ele se envolva numa história agoniante cheia de mistérios e perseguições. Na minha opinião, o livro usa muito o que chamamos de "quebra de expectativa", e o senso de humor de Bolitar é um espetáculo a parte.

Já as personagens são um show à parte na história, principalmente Win. Sério, eu quero ser o Win quando eu crescer, cara! Esse homem é demais, ele é culto, tem o senso de humor mais ácido do que soda cáustica e sua forma de resolver as coisas é sem igual. Já Myron é quase uma obra de arte: ele consegue tirar sarro e fazer as piadas mais estúpidas nos momentos mais impossíveis - além de portar dos charme dos Bolitar, saber disso e abusar dele sem peso na consciência. Fora que ele provavelmente tem um prêmio de "melhor ator" escondido em seu escritório, tenho certeza.

Em suma: Quando ela se foi é o melhor livro que li nos últimos meses, recomendo a todo mundo que busca uma leitura leve, mas ainda assim emocionante! No site da editora, o livro está saindo pela pechincha de R$ 29,90, então super vale a pena! Daí, fica a dica para os queridos leitores ♥ Espero que a resenha tenha atiçado a curiosidade de vocês, haha!

Beijinhos a todos, e até a próxima!

Marcadores: , ,


By Shana • quinta-feira, 8 de maio de 2014 • 5 ComentáriosLink to this post

Fica a dica: The Smiths
Dependendo da sua idade, você provavelmente não faz ideia do que estou falando - tudo bem, tudo bem, isso acontece. Mas se gosta de boa música, talvez conheça o The Smiths, essa banda britânica tão boa, que aparece em filmes incríveis como As Vantagens de Ser Invisível [ The Perks of Being a Wallflower ] e (500) dias com Ela [(500) Days of Summer ] - além de estar em 1º lugar no meu top 5 de bandas.


Segundo o wikipedia, The Smiths é uma banda de rock alternativo, e foi formada em 1982 na cidade de Manchester, numa parceria entre o vocalista e escritor Morrissey e o guitarrista John Marr, compositores do grupo. Infelizmente, para descontentamento geral, essa banda magnífica encerrou suas atividades 5 anos depois, em 87 - o que pra mim é uma verdadeira tragédia.

Apesar disso, o som deles é tão incrível que é amado pelas pessoas até hoje, além de ter influenciado uma série de músicos incríveis: pra quem não sabia, nosso grande Renato Russo, do Legião Urbana, foi muito inspirado por The Smiths. Ainda me surpreende um pouco que alguém não os conheça - ouso dizer que, na verdade todo mundo conhece uma música deles, só não sabe o nome da banda.

Com letras tocantes e certas vezes muito críticas, The Smiths têm uma música bem particular, na minha humilde opinião. Pra conhecer a banda, recomendo o álbum "The World Won't Listen", onde se encontram alguns dos singles mais famosos, como Ask, The boy with the thorn in his side, Asleep (que agora ficou conhecida graças à história de Charlie, Sam e Patrick), além da minha favorita ever, There is a Light that never goes out. Mas, pra não ficarmos todos tristes, vale a pena lembrar que o Morrissey continua fazendo música até hoje - e adora  fazer shows no Brasil - e que o Marr organizou uma série de projetos bem legais também.
Com isso, queridíssimos, fica-a-dica pra vocês de um dos meus maiores tesouros musicais e da provável maior inspiração musical da minha vida, The Smiths! ♥ Deem uma chance a esses britânicos, porque eles têm muito talento!
Eu fico por aqui, e deixo-os com o meu xodó Um beijo a todos os leitores que ouvirem, haha! E até a próxima




Marcadores: , ,


By Shana • sexta-feira, 2 de maio de 2014 • 5 ComentáriosLink to this post


«older newer»